16 de setembro de 2012

Entrevista com Mauricio Gomyde

Olá leitores! 
Trago pra vocês mais uma rodada de entrevistas promovida pelo blog com nossos autores parceiros, e desta vez temos o prazer de apresentar o escritor Mauricio Gomyde!
Vamos conhecer um pouco mais sobre o autor? Então confiram a entrevista! 


Entrevista com Mauricio Gomyde


Perdidas: O que é mais difícil? Vida de escritor nacional ou vida de músico?
Maurício: Essa é uma pergunta muito interessante. É como ficar entre a cruz e a espada... rs. Na verdade, os dois são dificílimos e só tendo mesmo muito amor pela arte para encarar. No meu caso, eu não vivo exclusivamente nem de um e nem de outro. Tenho outra atividade que me garante o sustento. Então, não sinto tanto os efeitos da necessidade de “vender livro ou música pra pagar as contas”.  Mas, em relação à dificuldade em si, os dois são uma batalha diária. Acho que ser escritor talvez seja um pouco mais fácil porque é um trabalho solitário. Como músico de banda (como é meu caso), você precisa o tempo todo negociar com o resto dos integrantes, fazer concessões, muitas vezes não fazer exatamente o que você quer. Com a literatura é algo mais “egoísta” e eu posso escrever qualquer coisa que desejar.

Perdidas: Todo autor diz que um livro é como um filho, mas qual livro foi mais prazeroso de fazer? Quais ideias fluíram com mais facilidade?
Maurício: Acho que, como você mesma diz, um livro é como um filho. E filho, pelo menos pra mim, é algo que a gente não escolhe. A gente ama todos eles. Eu sou assim, sou apaixonado pelos meus três livros. Então, analisando friamente, o livro que me dá mais prazer é o próximo... rs. Estou escrevendo já e então o envolvimento é total. Em relação às ideias, todos os três foram igualmente complicados e exigiram muita pesquisa, paciência e dedicação. Assim sempre fica melhor, né?

Perdidas: Tem algum autor que influenciou a sua obra e seu modo de escrever?
Maurício: Acho que não. Sempre me perguntam isso. Não consigo, sinceramente, pensar em um especificamente. Acho que cada um dos que já li, e que tenho lido, contribuem em certa medida para minha forma de escrever. Mas o que mais me influencia mesmo é a vida, as coisas que vejo todos os dias, as pessoas que conheço e com quem converso. Se a vida é um livro, e se há um “escritor” por trás disso tudo, então é essa minha maior influência.

Perdidas: Qual foi a inspiração pra escrever "Mundo de Vidro"?
Maurício: Eu comecei pelos e-mails que há dentro do livro. Depois que tinha escrito quatro ou cinco, o resto da história veio. O personagem “Ele” tem muito a ver comigo. Eu era muito tímido (acho que fui o cara mais tímido do mundo, em todos os tempos! rs) e o fato de começar a tocar e a escrever meio que me “libertou”. E, em última instância, é sobre isso que fala o livro. E eu gostei da ideia de uma segunda chance. Quando “Ele” tem uma nova chance na virada do milênio (já que havia discórdia sobre quando, efetivamente o milênio viraria), seria como se o tempo voltasse e ele pudesse, enfim, fazer as coisas de modo diferente. É um livro engraçado, e eu gosto de coisas engraçadas... rs.

Perdidas: Em "Ainda não te disse nada" uma carta muda a vida de Marina. Uma carta já mudou o rumo da sua vida?
Maurício: Hum... Acho que uma carta não. Sempre fui de trocar cartas, e tenho ótimas lembranças de muitas cartas que recebi e do gosto bom que é pegar na caixa de correios e abrir uma que se espera muito. Na verdade, o rumo de nossas vidas é mudado a todo instante, por cada pequena coisa que acontece, cada pessoa que vemos, cada notícia que lemos, cada coisa que fazemos. Mas se uma carta mudasse tudo, seria realmente muito legal.

Gladys Freitas: Ainda toca algum instrumento musical?
Maurício: Sim. Sou baterista de ofício. Faço shows todas as semanas. E toco violão também, mas só pra compor.

Camila Fernandes: Você teve alguma "rejeição" por parte de familiares ou amigos quando escolheu escrever livros?
Maurício: Não, nunca. Sempre tive o apoio da família. Nunca me obrigaram a ter uma "profissão séria"..rs.
Refiro-me, aqui, a ser advogado, economista, engenheiro, médico, etc. Acho que ser escritor é algo realmente diferente e que te faz ver a vida sob muitos prismas. Seria muita sacanagem se um familiar meu me tolhesse. rs. Isso não se faz, nunca! Rsrsrs

Letícia Tavares: O que te inspirou para começar a escrever?
Maurício: A gente nunca sabe exatamente qual foi o momento do "click". Pelo menos eu não me lembro.
Sempre escrevi durante minha vida. Venho de uma família de gente que lê e escreve muito. Então, acho que foi um processo natural. O que importa, mesmo, é que sei que não vou parar mais.

Amanda: Li em algum lugar que o autor escreve diretamente para o seu público-alvo, você acha que devido a isso cada leitor vai interpretar de uma forma, ou existem textos com uma única interpretação? 
Maurício: Da mesma forma que se você der o mesmo tema para dois escritores sairão dois livros completamente diferentes, a percepção por parte de cada leitor também é. E que bom que seja assim, né?
Eu mesmo, às vezes, releio algum trecho de um livro meu e interpreto algo novo. Eu escrevo, sim, diretamente para meu público. Sei o que ele espera e é o que eu gosto de escrever. Então, esta sintonia é muito legal. Mas espero, mesmo, que cada um enxergue algo diferente. Até porque as experiências de cada um são totalmente influenciadoras no juízo que a pessoa terá.  

Khrys Anjos: Você teve essa experiência de ver um rosto antes de conhecer a pessoa?
Maurício: Acho que sim. Há pessoas que a gente olha e tem certeza de que já a conhece. Em relação ao conto no livro, a pessoa que é que vem no instante final do momento em que eu caio no sono (o que chamam de "estado Alfa", ou "Teta") existe sim. E acho que sou muito feliz por saber quem é ela.


21 comentários

  1. haa adorei a entrevista..
    gostei muito mesmo meninas, o trabalho de vocês é fantástico..

    Espero que continuem fazendo a entrevista com a participação dos leitores.

    ResponderExcluir
  2. Adorei a entrevista com o Maurício. Ficou maravilhosa.
    Estou amando ser repórter do Perdidas kkkk

    Um leve bater de asas para todos!!!!!!!

    ResponderExcluir
  3. Ahhh, amei a entrevista. Maravilhosa.
    E o Mauricio é um fofo, né?!
    Eu gosto muito dele. E to louca pra ler o último lançamento dele.

    Parabéns meninas.

    Beijoos!!!

    Jaque - Meus livros, meu mundo.

    ResponderExcluir
  4. Gostei da entrevista, é sempre bom saber mais sobre os autores.
    Ah e obrigada por escolherem a minha perguntinha, hehe.

    Bjo.

    ResponderExcluir
  5. Apesar de não ter lido nada do Gomyde ainda, os livros dele estão nos meus 'desejados', então foi muito bom conhecer um pouquinho mais do autor!

    (não sabia q ele era escritor E músico!!=O)

    ResponderExcluir
  6. Legal a entrevista pelo jeito que o autor respondeu ele me pareceu bem simpático e engraçado, ainda não o conhecia, vou procurar saber mais sobre os livros dele

    bjos

    ResponderExcluir
  7. Muito legal essa entrevista! Ainda não li os livros dele, mas quero ler. Acho muito legal valorizar os autores nacionais!

    ResponderExcluir
  8. Gostei muito das perguntas e também das respostas.. Estou louca que o meu livro dele chegue...

    ResponderExcluir
  9. Adorei a entrevista e gostei muito da resposta que ele deu para a minha questão..

    ResponderExcluir
  10. Adorei a entrevista.. e gostei muito da resposta que ele deu para a minha questão

    ResponderExcluir
  11. Adorei a entrevista! tenho vontade de ler algum lvro dele!

    beeeijo!
    Letícia - umceudeletras.blogspot.com

    ResponderExcluir
  12. nossa a entrevista ficou muito boa, ele é tao legal *--*

    ResponderExcluir
  13. Oi Laisy

    adorei a entrevista!!

    sobre o q vc me perguntou, eu comprei o sweet evil no site da saraiva
    aqui
    http://www.livrariasaraiva.com.br/produto/3698800/sweet-evil/
    custa 23 reais, e demorou um mês para chegar, mas valeu a pena!!!

    http://www.lostgirlygirl.com

    bjos

    ResponderExcluir
  14. Adorei a entrevista! O Mauricio é um fofo! E além do mais estou gostando de fazer perguntas para os autores! Amei a ideia!
    Beijinhos!

    Camila.
    loucuradelivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  15. Muito legal essa entrevista. Ainda não li nenhum livro dele, mas espero que em breve possa ler.

    DomDom Almeida
    @_Dom_Dom

    ResponderExcluir
  16. Meninas,
    Que trabalho Mara, adorei a entrevista, já conheço o escritor da net, mas nunca li nenhum livro dele.
    Obrigada
    Bjs

    ResponderExcluir
  17. Eu gosto dele, apesar de nunca ter lido algum livro dele... Pode isso?
    Ele é muito simpático e sempre que eu leio resenhas dos livros dele ou alguma coisa que cite-o me dá uma vontade louca de comprar logo os livros dele.
    Achei a entrevista bem legal!

    ResponderExcluir
  18. Gostei da entrevista :)

    É muito bom saber mais sobre os autores nacionais *--*

    ResponderExcluir
  19. Muito boa essa entrevista! Nossa, como vejo falar do autor, os livros dele são muito bons! Pelo menos é o que todos dizem. Legal saber onde tudo surgiu e mais do autor.

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito importante para o blog! Pois graças a ele, sabemos o que vem achando dos nossos posts. Se chegou até aqui para comentar, já agradecemos o seu carinho! Ah... E volte sempre! ♥