16 de maio de 2014

Como Viver Eternamente por Sally Nicholls

Autora: Sally Nicholls
Editora: Geração
ISBN: 9788561501006
Ano: 2014
Páginas: 232

Classificação: 
Sam ama fatos. Ele é curioso sobre óvnis, filmes de terror, fantasmas, ciências e como é beijar uma garota. Como ele tem leucemia, ele quer saber fatos sobre a morte. Sam precisa de respostas das perguntas que ninguém quer responder. ”Como Viver Eternamente”, é o primeiro romance de uma extraordinária e talentosa jovem autora. Engraçado e honesto, este é um livro poderoso e comovente, que você não pode deixar de ler. A autora tem apenas 23 anos e embora seja seu primeiro livro, ele está sendo lançado em 19 países, dirigido a crianças, adolescentes e adultos.

Sam é um menino de onze anos que sofre de leucemia e já está praticamente no estágio final da doença, mas nem por causa disso é diferente de todas as outras crianças de sua idade. Gosta de brincar, imaginar coisas e é muito criativo, mas devido a sua condição fica muito limitado com relação as coisas que gostaria de fazer. Ele tem um amigo que sofre da mesma doença que ele, porém num estado um pouco mais crítico, chamado Felix. Um menino forte, que não se entrega à doença e que procura viver a vida intensamente enquanto pode... E é Felix quem ajuda Sam a realizar a maior parte de seus sonhos. Sonhos simples de uma criança de onze anos, mas sonhos...

Sonho de subir uma escada rolante que desce; bater um recorde mundial; ser um cientista, voar num dirigível e por aí vai. Com a imaginação e força de vontade de ambos... Conseguirão realizar grande parte deles. Como Viver Eternamente é muito mais do que um livro narrado em primeira pessoa por Sam. É um livro escrito por ele, onde o mesmo narra o que acontece em seus últimos 3 meses de vida até a sua morte.

Este é o meu livro, iniciado em 7 de janeiro e terminado em 12 de abril. É uma coletânea de listas, histórias, fotos, perguntas e fatos.
É também a minha história.

Como Viver Eternamente infelizmente foi um livro que não me tocou como eu esperava. Com a promessa de ser tão emocionante quanto A Culpa é das Estrelas, já estava preparada com os lencinhos em mãos, mas quando me dei conta, o livro já havia terminado e eu sequer havia sentido alguma coisa. Isso por que achei a narrativa muito rasa e sem intensidade. É claro que levei em consideração que o livro foi narrado por um menino de onze anos de idade tornando a escrita extremamente simples - algo muito positivo no livro - e é exatamente por isso que esperava mais. Esperava me emocionar ao ler algo na perspectiva de uma criança em seus últimos meses de vida, mas não foi o que aconteceu. Não consegui sentir o que Sam sentia mesmo com a narrativa em primeira pessoa. Nem mesmo em determinado momento em que eu achei que me sentiria tocada... Nada aconteceu. Não li A Culpa é das Estrelas, então não posso comparar ambos... Só posso dizer que Como Viver Eternamente infelizmente não me tocou como eu esperava. Mas é claro... Não é por que o livro não me emocionou que não emocionará ninguém.

Também não posso deixar de comentar a respeito do capricho da Geração com o livro que tem uma capa super fofa... A diagramação está uma graça e a revisão impecável. Além do tamanho da letra estar muito agradável para a leitura.

18 comentários

  1. otima resenha ... Eu venho me paixando e paquerando esse livro a cada dia que passa... Vamos ver se ele causa em mim alguma coisa entãao... a expectativa e relação a esse ta tão grande que tenho ate medo de minha reação a ele.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Thiago! Que bom que gostou da resenha. :)

      Excluir
  2. poxa pena q não tocou vc na leitura, eu to querendo muito ler esse livro!

    Seguindo o Coelho Branco

    ResponderExcluir
  3. Pena. Estava ansiosa pra ler este livro, cheia de expectativas e isso! Agora não tenho mais certeza de nada. Vou pensar e ver se realmente vale a pena. Obrigada por abrir meus olhos. Beijos.

    ResponderExcluir
  4. Vou dar uma chance para esse, apesar da nota. Parabéns Laisy pela ótima resenha.

    ResponderExcluir
  5. Você tem razão, a capa é super fofa!
    Só que ultimamente não estou curtindo muito tramas carregadas de emoção.
    Estou mais para livros levinhos.

    ResponderExcluir
  6. Livros rasos e pouco profundos que não conseguem alcançar o objetivo de sensibilizar o leitor, não é desmerecido por mim, mas perde muitos pontos. Mas acho que ainda assim, daria uma chance a ele.

    ResponderExcluir
  7. Essa é a primeira resenha negativa que eu vejo sobre o livro, e fiquei mais em dúvida ainda se leio ou não leio o livro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Jéssica! Acredito que vc deva dar uma chance ao livro, pois como falei na resenha... Não é pq não me emocionou que não emocionará ninguém. Com vc pode ser totalmente o contrário. ;)

      Beijão

      Excluir
  8. Laisy!
    Muito triste quando esperamos mais e o livro não corresponde.
    Um livro narrado em primeira pessoa por um personagem de 11 anos deveria ao menos ter uma dinâmica de aventura.
    Boa resenha.
    cheirinhos

    Rudy

    ResponderExcluir
  9. Olá, Laisy
    Quero muito ler esse livro, pois só vejo resenhas positivas sobre ele. Acho qus vou chorar muito.

    ResponderExcluir
  10. Laisy parabéns pela resenha!
    Achei a capa linda e estava empolgada, gosto de histórias que emocionam. Pena que não correspondeu, agora fiquei na dúvida se leio ou não.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Fe!

      Então...Como falei acima para a Jéssica, acredito que o livro merece uma chance sim. Ele não me emocionou... É verdade... Mas com vc pode ser totalmente o contrário. ;)

      Super beijo!

      Excluir
  11. Uma das poucas que vi que o livro não emocionou. EU ainda não o li, mas acabei colocando ele na lista por conta das inúmeras resenhas positivas que li e me deixaram curiosas.
    Bjs, Rose

    ResponderExcluir
  12. Este é o livro que esta no meu topo de aquisições, preciso muito ler, preciso muito tirar minhas próprias conclusões. Tudo que envolve doenças sem cura, fases terminais, tudo me emociona muito e acredito que ver a visao de um garotinho de onze anos deve me levar as lagrimas. Mas, eu sou chorona de carteirinha, desabei em A Culpa é das Estrelas, chorei no final de Querida Sue. E quero te parabenizar por colocar a tua real impressao do livro.

    ResponderExcluir
  13. Acho que é a primeira resenha que leio que não exaltou o livro e deu mil e uma estrelas, sério, rs.
    Já estava querendo ler ele para ver se era tudo isso mesmo. Já li livros que o pessoal ama de paixão e não achei aquelee livro. Mas enfim, pretendo ler, como já disse... mas é bom saber que se ele não me agradar tanto, não serei a única kkk

    ResponderExcluir
  14. Aah, já vi tantos comentários bons sobre esse livro que já tô ansiosa pra ler!
    Remete muito a outras histórias da tal febre "sick-lit" que tem inundado as estantes de tanta gente ultimamente, como A Culpa é das Estrelas e Extraordinário. Dessas duas eu só li A Culpa é das Estrelas, mas Extraordinário e Como Viver Eternamente estão na minha lista também <3

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito importante para o blog! Pois graças a ele, sabemos o que vem achando dos nossos posts. Se chegou até aqui para comentar, já agradecemos o seu carinho! Ah... E volte sempre! ♥