17 de junho de 2015

O Príncipe dos Canalhas por Loretta Chase

Série Canalhas - Livro III 

Autora: Loretta Chase
Editora: Arqueiro
ISBN: 9788580413991
Ano: 2015 
Páginas: 288
Classificação: 
Sebastian Ballister é o grande e perigoso marquês de Dain, conhecido como lorde Belzebu: um homem com quem nenhuma dama respeitável deseja qualquer tipo de compromisso. Rejeitado pelo pai e humilhado pelos colegas de escola, ele nunca fez sucesso com as mulheres. E, a bem da verdade, está determinado a continuar desfrutando de sua vida depravada e pecadora, livre dos olhares traiçoeiros da conservadora sociedade parisiense. Até que um dia ele conhece Jessica Trent... Acostumado à repulsa das pessoas, Dain fica confuso ao deparar com aquela mulher tão independente e segura de si. Recém-chegada a Paris, sua única intenção é resgatar o irmão Bertie da má influência do arrogante lorde Belzebu. Liberal para sua época, Jessica não se deixa abater por escândalos e pelos tabus impostos pela sociedade – muito menos pela ameaça do diabo em pessoa. O que nenhum dos dois poderia imaginar é que esse encontro seria capaz de despertar em Dain sentimentos há muito esquecidos. Tampouco que a inteligência e a virilidade dele pudessem desviar Jessica de seu caminho. Agora, com ambas as reputações na boca dos fofoqueiros e nas mãos dos apostadores, os dois começam um jogo de gato e rato recheado de intrigas, equívocos, armadilhas, paixões e desejos ardentes.

Antes de começar essa resenha, eu preciso dizer que nunca tinha lido nenhum romance histórico.
Por quê? Porque num belo dia, estava eu vendo televisão e passava "Orgulho e Preconceito" com aquela atriz do Piratas do Caribe, sabe?
Pois bem... eu estava assistindo o filme, já que nunca tinha lido a obra de Jane e.... morri de tédio.

Depois deste dia eu criei um preconceito com romances de época, pois a grande maioria das personagens femininas precisam ser salvas por um nobre cavalheiro, e elas passam a porcaria da história inteira se lamentando ou suspirando por não poderem dar vazão ao que sentem devido as imposições que uma "dama" tinha na época, e eu não tenho paciência para isso.

Mas aí a Letícia Rodrigues, da página Myron Bolitar Lovers BR, me convenceu a ler este livro, pois ela disse que ria muito com o casal protagonista. E ela estava certíssima!!! Porque eu também ri muito com eles!!!

Sebastian Ballister é mais conhecido como Lorde Belzebu. Quando ele nasceu, seu pai teve sérias dúvidas se ele era mesmo seu filho, pois o garoto parecia uma ave de rapina com um nariz enorme em forma de bico. Quando a mãe do garoto abandona o pai para fugir com um amante, Sebastian é imediatamente enviado para um colégio interno onde ele se torna o capeta! Ele briga com todos os colegas, inferniza a vida de todos e cria ao longo dos anos um muro impenetrável ao redor de si, para não se sentir ofendido com o que as outras pessoas pensam dele e lhe dizem. Ou seja, o lema dele passa a ser: faça o que quiser e não dê satisfação a ninguém.
Quando o pai morre, ele se torna marquês e passa a viver uma vida repleta de depravação, bebedeiras e a chocar a sociedade da época.

Do outro lado da história temos Jéssica Trent, uma mulher muito a frente do seu tempo, que não se deixa abater por escândalos, por homens depravados ou qualquer coisa que faria uma dama corar. Ela quer abrir o próprio negócio, não quer nem saber de marido e acaba indo parar em Paris para salvar o irmão idiota das garras do Lorde Belzebu, que vem arrastando ele para as bebedeiras e orgias, sendo que ele não tem condições financeiras e psicológicas para isso.

Ai começa a história. Ou melhor, a guerra. Porque Belzebu logo fica interessado naquela mulher tão diferente e esperta, que não tem a menor cerimônia em falar o que pensa na cara dele e lhe dar várias porradas (através das palavras) nele. Sério gente...
Cada vez que eles começavam a discutir sobre alguma coisa eu começava a contar um placar na minha cabeça:

" Primeiro round: Belzebu 1 X Jéssica 0. 
Segundo round: Belzebu 1 X Jéssica 1."

E por ai vai o livro inteiro!!!
Eles ficam tentando acabar um com o outro, e isso é bem engraçado, pois os diálogos mostram que trata-se de um jogo de intrigas e estratégias, já que ela sendo uma dama não pode se submeter a métodos mais... rudes. E ele, sendo rude, não pode simplesmente chegar e cair na porrada com uma dama, como ele faria com um homem. Ele precisa usar da estratégia, e ficam se provocando o tempo todo!

"A senhorita acha que não porque presume que vou jogar de acordo com todas as preciosas regras da sociedade. Acha, por exemplo, que o fato de estarmos num local público e de a senhorita ser uma dama significa que vou agir com bons modos. É provável que pense que eu respeito sua reputação. - Ele abriu um sorriso malévolo. - Talvez seja melhor repensar isso.
Os olhos cinzentos dela se estreitaram.
- Acho que o senhor está me ameaçando - disse ela.
- Veja como as coisas funcionam - prosseguiu ele. - Se aceitar minha oferta de 1.500 libras, eu me comportarei: acompanharei a senhorita até um cabriolé e me certificarei de que chegue em casa em segurança.
- E, se eu não aceitar, vai tentar destruir minha reputação - retrucou ela, concluíndo o raciocínio.
- Não será uma tentativa - refutou ele
Ela se sentou de maneira bastante ereta na cadeira e cruzou as mãos delicadas e enluvadas sobre a mesa.
- Pois eu gostaria de vê-lo tentar - declarou ela."

Mas, claro, eles começam a sentir uma coisa mais forte um pelo outro, e as brigas que deveriam separa-los, acabarão unindo-os.

Outra coisa que eu gostei nesse livro é que não tem enrolação. A autora não passa páginas e páginas com a protagonista suspirando pelo amor que não pode ter. Jéssica é decidida. Belzebu também é. Então eles correm atrás do que desejam mesmo!

Eu não fazia ideia de que romances de época também podia ser hot. Tudo bem... é um "soft hot", mas tá lá!!! As cenas mais picantes estão presentes!! E como eu adoro um hot... mais um ponto que me conquistou neste livro.

E, enquanto lia essa história eu pensei: "Finalmente alguém escreveu uma história aonde o personagem masculino não é um deus grego para todas as mulheres. A própria autora coloca na história que as mulheres sentiam repulsa dele quando ele foi ter sua primeira experiência sexual. E quando ele tem seu destino entrelaçado ao de Jéssica, ele a admira porque a maioria das mulheres veria esse enlace como um calvário ao inferno. Ou seja.... os desprovidos de perfeição também amam!!! Aleluia!!!"

Fala sério, né? O cara é sempre lindo, perfeito, um deus grego e rico. Nesse livro, o cara é rico, mas ele tem nariz de rapina, é um depravado, grosseirão e canalha! Eu sempre vou bater palmas para os autores que resolvem sair do lugar comum....

A leitura foi super rápida, pois eu não conseguia parar de ler (em grande parte porque queria ver a próxima briga). Super recomendo essa autora. E fiquei bem interessada em ler os outros livros dela, mas ai eu fui no skoob e quase cai pra trás...

Descobri que esse é o terceiro livro da série. Oi? Pois é...
Eu entrei em contato com o pessoal da editora, que me informaram que na verdade não é uma série...

Uma editora francesa criou essa sequência de livros, onde "Canalhas" seria o terceiro por causa da ordem dos acontecimento. Eles também me informaram que irão publicar  "The last hellion" (ainda sem previsão de lançamento e de título em português), onde neste livro Dain, Jessica e seu irmão aparecem, mais não são os protagonistas. Portanto os outros livros são histórias independentes, onde alguns personagens podem fazer "participações especiais". 

Eu não sei se vou aguentar esperar, e acho que vou me aventurar pelo primeiro livro dessa "série" através da Amazon mesmo em inglês. Até porque, The last hellion é o quarto na sequência, então, enquanto a editora não lança ele, posso ir adiantando a leitura do primeiro e do segundo, né? 


14 comentários

  1. eu amo de paixão romances de época e ja estou louca para ler esse! só esperando meu exemplar chegar, aguardo ansiosa para curtir tanto quanto você!
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Eu amei esse livro por vários motivos.
    Por exemplo o fato de que a mocinha não precisa ser salva e o cara não é um deus grego.
    Me fez amar ainda mais, sem contar as brigas.
    Eu não gostei do filme do Orgulho e Preconceito por causa da atriz (Keira), mas muito amor pelo livro.

    Lisossomos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As brigas são o melhor da história!!!! Eu ria muitoooooo!

      Excluir
  3. Oi Natália,amei este livro e o casal de protagonistas. Muito bom mesmo nos depararmos com um mocinho que não é o principe encantado, mas um sapo!
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara...sapo é pouco...o cara é um ogro! kkkkk

      Excluir
  4. Eu havia ouvido falar também que esse livro faria parte de uma série mas foi acana saber que podem ser lidos separadamente. Já li tantas críticas boas sobre esse que quero muito conferir e ver o que eu vou achar ^^

    ResponderExcluir
  5. Olá, Natália. Tudo bem?
    Eu não gosto muito de romances em geral mesmo. rs Mas Orgulho e Preconceito eu gostei; a protagonista não tem essa lamentação toda no livro. Deve ser problema da adaptação.
    Quanto à esse livro em específico, só o fato de chamar de lorde Belzebu já demonstra esse lado cômico do livro, o que provavelmente vai me agradar. Outro ponto que me agrada é que os personagens não parecem ser aquelas caricaturas perfeitas de cavalheiros e damas.
    Ou seja, adorei a resenha. Provavelmente darei uma chance ao livro.

    Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista de junho. Você escolhe o livro que quer ganhar!

    ResponderExcluir
  6. Ja ouvi muito falar desse, eu adorei o fato da protagonista ser decidida e o protagonista nao ser um deus.. Parece uma leirura muito boa e um pouco engracada..

    ResponderExcluir
  7. Oi Natalia,sempre adorei romance histórico.E realmente os mocinhos são sempre lindos de morrer ,ricos e perfeitinhos demais.
    E agora lendo a resenha,fiquei surpresa que os personagens fogem dos velhos clichês.
    Fiquei com muita vontade de ler. :)

    ResponderExcluir
  8. Sério que você morreu de tédio vendo Orgulho e Preconceito? kkkkkkkk Eu amo esse filme. Mas tudo bem, cada um no seu direito. Enfim, adoro romance de época, então não deixo passar nenhum que posso, então é claro que esse está na minha lista desde o lançamento, ainda mais porque os personagens não se prendem aos estereótipos já consolidados. Também não entendi publicarem logo o terceiro. Mas que bom que você gostou!
    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Morri!!! kkkkkkkkk

      Eu vou assistir esse filme de novo gente! Eu deixei alguma coisa passar, não é possível! kkkkk
      Geral me perguntando como eu não curti Orgulho e Preconceito! kkkk

      Excluir
  9. A começar pelo titulo que deixa a gente curiosa e até surpresa ne?!
    Quando vi o lançamento da Arqueiro, so de ver a capa já imaginei que seria um romance de época e eu AMO esse tipo de livro!
    Com brigas, intrigas, fofocas e romance, clarooo que esse livro seria meu logo logo, haha, adoro esses elementos juntos numa boa estória.
    Quando fiquei sabendo que seria uma releitura de Bela e Fera, aí que a curiosidade gritou!! Li algumas resenhas negativas, mas confesso que não me abalou, o livro ainda acho mtooo bom e mega e recomendo gente!

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito importante para o blog! Pois graças a ele, sabemos o que vem achando dos nossos posts. Se chegou até aqui para comentar, já agradecemos o seu carinho! Ah... E volte sempre! ♥